terça-feira, 29 de junho de 2010

 

Diversos assuntos

 

Faz tempo que não escrevo aqui. Só venho aqui postar o meu caderninho e olha lá. Os dias estão corridos e mal tenho tempo de atualizar o diário. As vezes até penso em escrever alguma coisa, mas passa o dia e nada. Nem tenho visitado meus amiguinhos. Todos os blogs que estão aí ao lado, sempre que posso, costumo visitá-los, embora nem sempre comente, mas até isso está difícil. Quero criar novas páginas aqui no meu cantinho também, mas kd tempo para isso? Antes de criar essas páginas ainda quero ler a respeito porque tenho algumas dúvidas. A propósito, alguém sabe onde posso encontrar um tutorial que fale sobre isso? 

 

Fornecedor x Cliente x Balança

 

É impressionante como o descaso impera no Brasil. Sinto que o brasileiro já se acostumou a impunidade, ao fato de que no Brasil a justiça é apática e, com isso, alguns se aproveitam e acham que podem fazer o que bem entender, porque nada dá em nada mesmo...

 

Comprei uma estante na loja Rustick e a mercadoria foi entregue cheia de defeito. Solicitei a troca e depois de esperar quase o mesmo prazo da entrega original, que é de 30 a 45 dias, recebi outra estante, que também veio com defeito. Pedi cancelamento da compra e para receber o dinheiro foi um parto. Tentaram me enrolar de tudo quanto era jeito, queriam um prazo enorme para devolver o dinheiro, mas só dei a eles três dias, e acho até que foi muito. Recebi em cheque o valor e quando fui depositá-lo veio a surpresa. Para sorte deles o cheque não voou pela 2º vez porque se voasse era processo na certa.

 

Resolvi então comprar a estante na Lapele Móveis. Nossa! Se arrependimento matasse.... A compra foi realizada no dia 18/04 e o prazo dado, na NF, foi de 30 a 45 dias, ou seja, a entrega era para ser feita até o dia 02/06 (prazo máximo). Como eles informaram que ligavam para agendar a entrega e como não ligaram até o dia 31/05, resolvi ligar para a loja que me pediu para ligar para o depósito, porque assunto relativo a entregas seria com eles. Liguei para o depósito no dia 02/06 onde fui informada que minha mercadoria ainda não tinha chegado ao RJ, mas ficaram de verificar e me retornar. Como não obtive retorno, no dia 04/06 liguei novamente para o depósito. Liguei três vezes nesse dia e não obtive explicação para o atraso. Resolvi ligar para a fábrica no Sul, que justificou o atraso ao mal tempo na região, o que teria dificultado o trabalho na madeira além de algumas baixas momentâneas no quadro de funcionários, tendo me assegurado que o caminhão com o meu pedido chegaria ao RJ ao longo da próxima semana e que na sexta-feira, dia 11/06, a estante seria entregue em minha residência. Como não foi entregue, no dia 14/06 liguei para o depósito e como fui informada que não tinha chegado ao RJ, voltei a ligar para a fábrica, onde a primeira informação que obtive foi que tinha dado problema num outro pedido (de outra pessoa) e o caminhão teria ficado preso por conta disso e a pessoa não sabia informar quando o caminhão sairia. Inconformada com a situação, liguei novamente para a fábrica, falei com outra pessoa que me disse que o problema tinha sido no meu pedido, pois a coloração não tinha ficado de acordo com o especificado, tendo tentado justificar como sendo problema da amostra que não tinha sido a adequada.... E previsão que é bom, nada! Já estressada com tantas histórias, tantas desculpas infundadas, tanto bla bla bla, decidi cancelar o pedido. Liguei em seguida para a loja, contei tudo o que estava acontecendo e pedi o cancelamento do pedido. A vendedora me disse que o gerente me ligaria para tratar do cancelamento, mas como ele não retornou a ligação e eu já estava indo embora da empresa, resolvi ligar novamente para a loja. Não consegui falar com o gerente, mas a vendedora me garantiu que a fábrica, na pessoa do gerente de produção, tinha assegurado a ela que o pedido sairia de lá no dia seguinte, terça-feira, dia 15/06. Isso porque 20 minutos antes eu tinha ligado para a fábrica e não havia previsão. Voltei a ligara para a fábrica, falei com o tal gerente que me confirmou a data de entrega para terça-feira. Engoli o orgulho e resolvi arriscar. No dia seguinte, dia do jogo da seleção, pentelhei o pessoal da fábrica e ninguém sabia dizer se o caminhão tinha saído ou não. Até para o celular do tal gerente liguei, mas não consegui falar. Liguei para a loja e mandei cancelar tudo. No momento seguinte o tal gerente me liga para dizer que o caminhão saiu, que chegaria aqui na quinta-feira a noite e que minha entrega seria na sexta, dia 18/06, pois ele havia pedido prioridade. Na sexta-feira liguei para o depósito para confirmar se o caminhão tinha chegado, mas ficaram de verificar e me retornar e nada. Na segunda, dia 21/06, liguei para o depósito novamente e fui informada que o caminhão chegou no sábado, dia 19/06, e que meu pedido estava finalmente no RJ, mas não poderia ser entregue por o caminhão que faz entregas estava em manutenção e só seria liberado na quarta-feira no fim do dia. Minha entrega foi agendada para quinta-feira. Na quinta, dia 24/06, bem cedo liguei para o depósito para saber se estava tudo ok com a entrega e mais bla bla bla.... Fui informada que a entrega não seria possível porque estavam faltando peças e que por isso na segunda-feira eles tentaram agendar a entrega mais para o final da semana para dar tempo das peças chegarem. Não era problema com o caminhão? Eu perguntei e o carinha começou a gaguejar no telefone. Que raiva que me deu! Fiquei possessa! Liguei imediatamente para a loja, cancelei o pedido e fiquei de passar na loja a noite para acertar tudo. Quando estava indo para loja, já cinco e pouca da tarde, minha mãe me liga dizendo que eles estavam lá em casa e que tinham levado a estante. Pedi a ela para receber a estante e conferir cada parafuso, porque se tivesse alguma coisa errada, já estava mesmo no caminho para o shopping e resolvia tudo, porque não poderia passar daquele dia e assim ela fez. Quando os montadores começaram a desembrulhar as peças, tinha uma das laterais da estante que estava trincada de cima a baixo e o montador, com toda a sua sinceridade, virou-se para minha mãe e disse: Dona, não sei nem como vou montar isso. E nem montou. Eles voltaram com a estante. Cheguei na loja por volta das 18:30 horas. A vendedora tentou me convencer de tudo quanto foi jeito, insinuou que o pedido ainda estava dentro do prazo, que eu teria me recusado a receber a mercadoria, que ela não poderia cancelar, que eu tinha que pedir troca e ainda quis elevar o tom de voz. Nossa! Esse dia foi fatídico e ainda não acabou por aqui. Ela saiu ligando para A, B, C e queria que eu explicasse a mesma história para todas essas pessoas. Ninguém merece! Cheguei até a falar com o financeiro deles que disse que não poderia fazer nada por mim porque tinha encerrado o expediente bancário, faça-me o favor né... Na era da tecnologia onde podemos acessar o banco até do celular tenho que ouvir que uma empresa não pode me ressarcir porque acabou o expediente bancário, o que é que isso? Continuei na loja e já passava das sete e pouca da noite quando chegou um rapaz lá, que tinha sido chamado para resolver o problema. O cara queria porque queria que eu solicitasse a troca e não o cancelamento, porque ele não poderia cancelar sem efetuar a troca, posso com isso? Depois entornou o caldo, disse que se eu quisesse que fosse procurar meus direitos na justiça porque ele não poderia fazer nada por mim, se levantou e na maior cara de pau saiu da loja com outro vendedor. Foi pagar uma conta dele (ele comentou isso ao sair da loja). Demoraram a voltar e quando voltaram foram lanchar e eu ali, esperando para ter o meu cancelamento passando por toda aquela humilhação. Perto de dez horas da noite, hora em que o shopping fecha, eles começaram a se movimentar. Fecharam uma das portas da loja, ouvi o barulhinho do Windows desligando e quando vê os três (a tal vendedora, o outro vendedor e esse carinha) foram para o outra porta da loja e queriam me forçar a sair, daí eu tive de lembrá-los que eu era a ultima cliente da loja e que a loja só fecharia quando eu saísse. Acredita que esse carinha ameaçou me trancar lá dentro da loja. Não desisti, disse que ele poderia fazer isso, mas que no dia seguinte teria toda a impressa lá noticiando o ocorrido, daí senti que ele tentou fazer o segurança me tirar de lá, mas quando o segurança chegou, que viu que eu estava sentada educadamente em um dos sofás da loja, falando baixo e de forma educada, ele virou as costas e foi embora. Eles continuaram insistindo que não poderiam cancelar e bla bla bla, até que resolveram cancelar. Fizeram o cancelamento no verso da NF e se comprometeram a me ressarcir via conta bancária no dia seguinte. No dia seguinte o financeiro deles me ligou, confirmou os dados, ficou de me pagar naquele dia e me enviar o comprovante. Quando fui ver o tal comprovante, quase enfartei. Eles fizeram um agendamento de depósito em cheque na minha conta, ou seja, mais uma vez não honraram com o compromisso assumido. Que raiva! Mas vou levar esse caso adiante só pela humilhação que passei. Fiquei de seis e pouca da tarde até dez horas da noite, sentada esperando ter o meu problema resolvido, esperando ser atendida, isso é o cumulo do absurdo? Ainda insinuaram que você está mentindo e ainda querem elevar a voz com você, além das ameaças e insinuações, fala sério né?! Atrasos acontecem, problemas acontecem, mas a Lapele Móveis se superou. Jesus! Fiquei tão nervosa nesse dia, fora o estresse dos dias anteriores, que estava trêmula e minha pressão devia estar nas alturas, porque os batimentos cardíacos estavam aceleradíssimos. Por sorte, antes de chegar à loja, lembrei do remédio de pressão que tomo a noite e resolvi passar na farmácia para comprá-lo, mesmo tendo estoque em casa. Então quando fui para a loja já fui levando o remédio e uma garrafinha d'água, se não nem o remédio teria tomado, queria ver se tivesse um piripaco ali, o que eles iam fazer.

 

Vocês devem estar se perguntando: onde entra a balança nessa história? Nesses dois episódios me estressei tanto, tanto, tanto, principalmente com a segunda loja, que em outra época descontaria TUDO na comida, mas dessa vez não fiz isso. Nesse dia que fiquei horassssssssssss na tal loja, só estava com o almoço e um lanchinho tímido, coitado, mas a raiva era tanta que nem senti fome. Fui comer só quando cheguei a casa e nem devorei tudo o que vi pela frente. Consegui me controlar bonito! Fiquei orgulhosa de mim!

 

Jogo da seleção – Copa do Mundo

 

Ontem teve jogo da seleção brasileira pela Copa do Mundo. Como seríamos liberados no horário do almoço, já que o jogo era as 15:30 horas, o pessoal da empresa combinou de ir assistir no Parada da Lapa e aproveitar para comemorar o aniversário de uma colega. Como lá só tinha opções de petiscos, resolvemos almoçar antes de ir e foi a melhor coisa que fizemos por vários motivos, inclusive para o meus pontinhos né (ehehe).

 

Lá no tal barzinho ia ter roda de samba, mas só teve no final. Não teve um "esquenta" para o jogo. Durante a partida belisquei uma batata frita com o pessoal e foi só. Depois do jogo, dancei, sambei, pulei, me movimentei bastante. Nossa! Foi muito legal, muito bom, muito divertido, muito animado.... Fazia tanto tempo que não saia para me divertir e põe tempo nisso. Pelo menos uns três anos. É sério! Vinha estudando e era só casa-trabalho-cursinho-casa a semana inteira. Aos finais de semana, quando não estava no cursinho e/ou biblioteca, estava em casa estudando. Pauleira! Mas também não posso reclamar não, foi um mal necessário, pois consegui atingir meu objetivo. Tinha até que voltar a estudar, pois ainda tenho um objetivo a atingir, mas isso é outra historia.

 

Saí do Parada da Lapa era por volta de sete e meia da noite. No meio do caminho, belisquei batata frita e, em casa, comi uma saladinha com peixe e aipim, e mesmo com todas essas "besteirinhas" ainda fiquei dentro da minha cota diária de pontos. Mais um pontinho a meu favor.

 

Reunião do VP

 

Hoje foi dia de reunião do VP. Emagreci, uhuuuuuuuuuuuuuu Só não sei ao certo quanto perdi, porque a orientadora colocou no meu boletim -1,1 Kg, porém colocou meu peso atual como sendo 143,4 Kg. Considerando o peso atual anotado por ela eu teria eliminado 2,1 Kg e não 1,1 Kg. É óbvio que 2,1 Kg é muito melhor do que 1,1 Kg, mas independente disso só o fato de eu ter eliminado peso e ter atingido, e ultrapassado, minha meta semanal de - 500 gramas, mesmo não tendo atingido todas as metas que estipulei já está ótimo, maravilhoso. Fiquei muito feliz! Me senti toda, toda, no controle da situação, porque essa semana não foi fácil. Teve café da manhã da van, dois jogos da seleção com muitos "engordiets", todo esse estresse por conta da tal estante e ainda teve ataque da Da. Solitária no domingo. Foram muitas situações desafiadoras e ainda assim consegui sair vitoriosa. Estou muito feliz!

 

O que chamo de Da. Solitária, minha orientadora chama de Monstro do Crec-Crec Hoje é que fui me dar conta disso. Acho que todo mundo que tem problemas com a balança sabe bem o que é isso, pode até chamar de outro nome, mas com certeza reconhece essa figura (eheheh)

 

Nossa! Esse post já está enorme e ainda tinha outras coisas para falar, mas fica para a próxima.


 

2 comentários:

Samira Hidalgo disse...

Meu Deus, que história! Estou com um problema parecido com o seu, mas é um sofá. Além disso, o caso foi parar na justiça!

Parabéns por ter emagrecido, querida!

disse...

Seu problema é com essa loja também?
Temos mesmo que lutar por nossos direitos, você está certíssima.

bjs